home o museu a història onde estamos contato       lp / oc
 
         
     
 
home 
itens
30 anos
foto galeria 
a imprensa 
noticia 
 

História do Bairro
Matteo Gavazzi

 

Bixiga : O Bairro fundado e esquecido pelos italianos

 

Aquele la è o Famoso bairro dos Italianos em Sao Paulo!”
Esta descriçao poderia pertencer a varios bairros de Sao Paulo, como o Bras , a Barra Funda e a Mooca.
Porem o bairro "Mais" italiano de Sao Paulo è com certeza a Bela Vista!
Isso è fato, mas fica a duvida:
Como os italianos foram parar na Bela Vista e em particular no BIXIGA, sua parte mais central, caraterística e antiga?
Esta historia começa no final do seculo XIX, quando Europa e Brasil passavam por situaçoes antagonicas.
A recem formada republica dos estados unidos do Brasil(1889) apos a aboliçao da escravidao em 1888 estava precisando desesperadamente de mao de obra boa e barata para suas fazendas de cafe e açúcar.
 Ja a Europa e especialmente algumas regioes da recem unificada Italia(1861) estavam passando por uma carestia terrivel.
Poderíamos dizer que è nesse momento que o ditado “juntar a fome com a vontade de comer” poderia se faz o titulo perfeito para esse conto, que de fadas não tem nada, e levaria muitos italianos a atravessar os oceanos em busca de uma vida melhor.
Tudo começou com a criaçao da SPI, SOCIEDADE PROMOTORA DE IMIGRAÇAO.
Os promotores da SPI viajavam ate a velha bota em busca dos contadini(tradução italiana de camponeses).
Eram figuras como a do promotor brasileiro Gustavo Gavotti que procuravam a burguesia local para que esta convencesse seus conterraneos mais pobres a migrar em busca do sonho (sul)americano.
Em troca recebiam comissoes por cada cabeça que embarcasse rumo ao porto de Santos.
A propaganda era feita por meio de folhetos, cartazes e caixinhas de fosoforos promovendo algo simples e direto:
Em poucos anos de trabalho os camponeses poderiam ter seu proprio pedaço de terra e nao sofrer mais a fome.
Foi assim que dezenas de milhares agarraram o bilhete para o novo mundo e cruzaram o oceano em navios como o "VAPOR ESPAGNE", que tinha 121 metros de comprimento por 13 de largura e podia abrigar cerca de 1500 pessoas em sua tercera classe.
Para a maioria deles nao existia realmente alternativa, e o sonho do "pedaço de terra" era algo muito convidativo, quase irresistivel.
A viagem era muito dura , e nos 20 dias necessarios para cumpri-la muitos perdiam a vida, especialmente idosos e crianças.
Chegados a Santos os Imigrantes eram levados sobre um trem ate Sao Paulo onde eram abrigados na HOSPEDARIA DOS IMIGRANTES(espaço hoje dedicado ao museu da imigraçao http://museudaimigracao.org.br) e de la partiam para o campo, onde os fazendeiros os esperavam.
 A crise da bolsa de 29 se refletiu negativamente sobre muitos fazendeiros do café que viam suas cotaçoes cairem rapidamente na bolsa de Chicago.
Nesses anos com o começo da industrializaçao muitos camponeses e sobretudo seus filhos decidiram deixar pra tras a vida nas fazendas e procurar "fortuna" nas cidades.
Muitos que viviam nos arredores de Sao Paulo voltaram para a capital formando os primeiros povoados de italianos.
Dentre eles a Bela Vista era com certeza o mais importante reduto de italianos na cidade, que nesses anos se resumia a ser, nada mais nada menos, que uma uniao desorganizada de chacaras.
Uma delas era a Chacara do Bexiga, que passaria em breve a ser denominada bairro da Bela Vista em 1910.
Sobre o nome "Bexiga" existem varias historias das quais a mais creditada conta que o terreno pertenceu ate o ano de 1857( ano da morte do proprio) a Antonio “Bexiga” que era chamado assim por ter cicatrizes da doenca da variola no rosto. (doença caracterizada por bexigas)
Nao è dificil acreditar na historia ja que è muito comum no brasil chamar as pessoas por seus apelidos.
(Para mais infos sobre o tema "Apelidos" perguntar ao trio "mundial" Pelé,Didì e Vavà)
Assim surgiu o nome Bexiga que era de se entender para o Bairro intero da Bela vista e nao como hoje è considerada somente uma parte menor que leva hoje o nome de "Bixiga" com "i".
No inicio do XX seculo essas chacaras começaram a ser arruadas e em seguida lotizadas para venda.
Para o Bexiga nao foi diferente.
A chacara tinha sido comprada por Thomas Luis Alvares em 1878 o qual tinha comecando o processo de arruamento e lotizaçao do bairro.
Como tinha feito isso de manera rapida e desordenada, o resultado foram lotes de varios tamanhos e para todos as bolsos.
Seu intento era formar, o mais rapidamente possivel, un novo bairro para a cidade paulistana.
Em 28 de julho de 1879 o seguinte anuncio saiu no Jornal “ A Provincia de Sao Paulo” (Atual “Estado de Sao Paulo”) :
“Terrenos no Bexiga- Vendem-se estes magnificos terrenos as braças ou em lotes, com pastos ou matas, a vontade do comprador. Nao ha nada a desejar nestes terrenos, dentro da cidade,agua corrente, em diversas fontes, golpes de vista, para bonitas chacaras, ruas de 60 palmos de larguras. Preços baratissimos , desde 20$, 30$, 40$, Ate 50$ a braça, com 30 braças e mais de fundos comforme a localidade escolhida.”
Foi este tipo de urbanizaçao que caracterizou a Bela Vista e a confusao de seus lotes nunca permitiu que o bairro perdesse 100% de suas caracteristicas, motivo esse que dificultou ate a verticalizaçao e a especulaçao imobiliária.
Olhando um mapa da região è possível ver com bastante clareza a diferença entre o arruamento da Bela Vista, com ruas confusas,estreitas e tortuosas, e o arruamento do Jardim Paulista(feito posteriormente), quadrado e linear.
Foram tantos os italianos que habitaram a Bela Vista que certa hora o Arquiteto Benedito Lima de Toledo o definiu como o bairro MAIS DENSAMENTE POVOADO DO MUNDO.
Ao que se conta a Bela Vista era composta de uma infinidade de casas e casinhas, onde em cada comodo morava uma familia italiana INTEIRA!(Estamos falando de familias italianas tradicionais com 5 ou mais pessoas por nucleo).
Nasciam os famosos cortiços.
(A definiçao de cortiço è bem controvertida mas digamos que para a prefeitura sao aquelas abitaçoes unifamiliares que porem são habitadas por varias familias)
Falando em casas historicas do bairro com certeza não podemos esquecer de falar da padaria sao domingos que em 2013 completou 100 anos de historia.
(E' verdade mesmo que tudo pode faltar para um italiano menos "PAO"!)
 Fundada por Domenico Albanese, a padaria foi passando de pai para filho ate chegar aos bisnetos Eliana e Silvio Albanese que tocam o negocio ate hoje.
Anedota: Para evitar depredação durante um saque promovido por populares esfomeados durante a Revolução de 1924, Albanese distribuiu produtos de graça.
Uma mudança chegou a ser cogitada em 1968, quando a casa recebeu uma notificação de desapropriação para abrir espaço à obra do Minhocão/Acesso a Radial Leste.
Por sorte o plano foi mudado e assim o negócio continua de pé no mesmo lugar ha mais de um seculo. (Pelo que tudo indica Silvio Albanese, bisneto e atual proprietario esta preparando um livro para explicar melhor a trajetória deste icone da Bela Vista.)
Falando em icones, nao se pode esquecer de falar da Escola de Samba “VAI-VAI”
A escola deve seu nome ao time de futebol chamado “CAI-CAI” fundando na Bela Vista em 1920.
Em seguida os integrantes do time inauguraram em 1930 o “cordao carnavalesco Esportivo Vai-Vai".
A escola esta prestes a deixar sua sede rumo ao Anhangabaú, onde construira sua nova quadra em um terreno doado pela prefeitura.
O local atual onde fica hoje seu galpao e quadra de samba foi desapropriado pela prefeitura para que possa abrigar a nova estaçao Laranja do Metro.
(Estação Bela Vista - 14bis, inauguraçao prevista para 2019)
Renascimento cultural do Bairro:
A Bela Vista, com seus numerosos teatros e bares alternativos foi apelidada ja nos anos 60 de BROADWAY PAULISTANA.
Nao è facil emular os talentos que por aqui tiveram seus shows,como Adoniran Barbosa e Elis Regina.
Infelizmente a Historia deste bairro iconico esta hoje desvalorizada.
Um exemplo disso è o Museu do Bixiga, fundado por Armando Puglisi, que deveria manter exposto um acervo de 8.000 fotos antigas e 1.500 objetos históricos mas que esta tristemente fechado a anos.
Armando formou este incrivel acervo ao longo de sua vida inteira,para realizar este museu fora do comum.
Armandinho(como era chamado no bairro) comprava ou recolhia objetos em doação quando algum habitante do bairro morria ou voltava para a velha bota.
Ele foi com certeza o maior "guardiao" e animador cultural do bairro.
De sua autoria è a invençao do maior bolo do mundo em homenagem ao aniversario de Sao Paulo, recorrência esta que è realizada a cada ano e ja entrou no Livro do Guinnes.
Outros personagens dignode de nota são :
Walter Taverna. Filantropo do bairro e melhor amigo de Armandinho.
Prova disso è seu empenho em manter viva a tradiçao do maior bolo do mundo.
Esta foi uma promessa que ele fez no dia da morte de seu grande amigo em 1994.
Outro afecionado do bixiga(mesmo nao residindo no mesmo) era Adoniran Barbosa que cantou e vivenciou os sambas do bixiga ate sua morte.
Hoje em dia o Bairro encontra-se em decadência,esquecido e desvalorizado pelos Italianos de nascença e pelos "oriundi" tambem.
Uma pena considerando o que este bairro significou para Sao Paulo e sua historia.
Espero que o bairro volte a ser apreciado por habitantes mais concientes de toda a historia que ali è contida.
Um Povo que nao valoriza seu passado, nao tem presente nem futuro.

         
         
privacy unofficial site - sito non ufficiale - site não oficial

01285690424